PROFESSOR: IMPERFEITO AOS OLHOS DA MÍDIA

07/11/2015

Assistindo o Fantástico no domingo passado, 01/11/15, comecei a exercitar minha mente sobre o caso que envolvia uma criança e uma escola do RJ.

Começando: Um garoto vai para escola. Chegando lá. Tenta agredir a professora e enfrenta funcionários; ao ser levado para secretaria bagunça e quebra tudo que pode na secretaria se apresentando na escola como um aluno destemido e sem medo de ninguém. Os profissionais com medo de punição do Estatuto da Criança e do Adolescente que em muitos casos só vê o direito somente da criança, medo também da interpretação da população resolvem ligar para sua mãe com intenções de conter os ânimos de seu filho.

Com isso, alguns canais de TV’s e sensacionalistas que nada entendem de educação e nem sabem das dificuldades dos profissionais da educação, veem essa ação da instituição “escola” com tons de críticas e questionamentos. A mãe da criança resolve processar a escola porque a criança, segundo ela, foi constrangida e curiosamente ninguém cita o fato de: se os pais são responsáveis pela criança, e a criança quebrou tudo que pôde na escola, então, naturalmente os pais devem pagar. Certo?

Então com isso, me perdoem todas as pessoas que concordam com a atitude da mãe da criança. Mas isso é uma falta de respeito com a educação e negligência dessa mãe que em nenhum momento repreendeu seu filho, pelo contrário, a partir do momento que acusa a escola e fala em processar uma instituição que em nenhum momento agrediu seu filho, sendo paciente e comunicando ao responsável “mãe” para evitar polêmica, essa mãe certamente está apoiando as ações de seu filho, mesmo que venha ser comprovado que a criança apresente ser portadora de necessidades especiais, a mãe não deveria culpar a escola e tão pouco os profissionais que nela trabalham.

Para sabermos quem é certo ou errado é só responder. Qual a função de um aluno? depois assistam o vídeo e vejam se as ações apresentadas refletem o comportamento de um aluno.

É fato também que era uma criança com possibilidades de sofrer algum tipo de necessidade especial, mas o grande problema é declarar a instituição como culpada do acontecido. Fico me perguntando até quando seremos culpados pelos erros dos outros. Um certo especialista, um daqueles que não saem de seu escritório, não conhecem a realidade de nossos alunos, disse que a escola teria que tomar uma atitude naquele momento, mas sabemos nós, que a partir do momento que os professores ou vigilante da escola tentasse conter  a criança, a mídia iria dizer que foi excesso de força e daria no mesmo ou pior.

O que me deixa mais triste é que milhares de pessoas concordam com a ideia de que a escola está errada e deve sim ser processada. Até quando isso vai acontecer?

“O sucesso da educação precisa de sacrifícios, mesmo que seja admitir que as pessoas que amamos estejam erradas, porque só assim conseguiremos corrigi-los”

VICENTE BASTOS PEREIRAProfessor da rede pública de ensino |Graduado em Matemática – UEMA | www.vicentebastos.net |E-mail: vicente.fisica@hotmail.com |Facebook e Instagram: Vicente Bastos

(*) Vídeo do Canal “Deu na Internet”

www.facebook.com.br/prof.vicentebastos

Deixe uma resposta