Após calote em 2016, professores do MA não devem ter reajuste em 2017

22/11/2016

Depois de não receber do Governo do Estado o reajuste do piso salarial definido pelo Ministério da Educação para 2016, os professores do Maranhão já começam a se preparar para não receber aumento também em 2017.

O alerta é da oposição no Sinproesemma, que aponta um estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), contratado pelo próprio sindicato, como o primeiro passo para barrar de novo o reajuste.

De fato, ao comentar o material apresentado pelo Dieese, o atual secretário de Administração e Patrimônio do Sinproesemma, Raimundo Oliveira, diz que “o estudo ajudou o sindicato a compreender ainda mais o cenário de crise econômica”.

Além disso, acrescentam os oposicionistas, uma manobra na eleição para a direção do sindicato evidencia uma espécie de acordo com o Executivo.

“Lançaram no último dia 15/ 11 o edital [para as eleições] e nele anteciparam a eleição do sindicato para dezembro. A mesma tinha previsão de realização pra fevereiro/2017. Como seus dirigentes já sabem que nosso reajuste não sairá em janeiro, resolveram mudar a data da eleição e assim esperam preservar a chapa da situação”, denuncia o professor Antonísio Furtado, candidato da oposição.

Ele revela, ainda, outra jogada:

“Como se isso não bastasse, a atual diretoria modificou o ESTATUTO DO SINDICATO no afã de se perpetuar no poder. De acordo com essas alterações e o regimento eleitoral, a nova diretoria terá 110 membros e as chapas deverão apresentar em sua composição 1 membro de 3/5 do número de núcleos sindicais. Diante do exposto a diretoria do sinproesemma precisa esclarecer para nossa categoria em que fórum essas alterações estatutárias aconteceram”, disse.

Apesar das mudanças de última hora, a chapa de oposição garante que conseguirá registrar seus membros e disputar o pleito.

DESAVISO: Título e texto do post – Original e sem edição do Blog do Linhares

() Blog do Linhares – www.blogdolinhares.com.br

www.facebook.com.br/prof.vicentebastos

Deixe uma resposta